NOTCIAS
19/08/2011 - 16h17

Histórico do Santuário e do Festejo de São Raimundo Nonato

No inicio do século XIX, uma comunidade negra estabelecida no município de Vargem Grande na localidade de nome Mulundus a 20 Km da sede municipal, deu origem a uma manifestação popular em torno de um acontecimento que permanece vivo até os nossos tempos.

Um homem do campo de nome Raimundo Nonato, vaqueiro e trabalhador de boa conduta, morador daquela localidade acidentou-se junto a uma carnaubeira quando perseguia uma rês, vindo a falecer por conta de um traumatismo no pescoço, causando a todos motivos de muita comoção e tristeza. A lembrança daquele homem ficou gravada na memória de todos os moradores de Mulundus levando a comunidade a celebrar a imagem do vaqueiro ao lado da “carnaubeira” onde ocorrera o acidente. Contam os historiadores que a crença popular cresceu tanto naquela região que toda a carnaubeira foi destruída por crentes que levavam pedaços para serem usados como produto medicinal.

Por ter despertado junto à Igreja algumas semelhanças entre o comportamento em vida do saudoso Raimundo e a vida de São Raimundo Nonato, bispo da ordem dos Mercedários, foi trazido da Europa uma imagem do Santo que é venerada até hoje. Essa imagem foi doada por um proprietário de terras daquela localidade, pelo fato do mesmo sentir-se parte da Comunidade de Mulundus. O mesmo proprietário com apoio da Paróquia e de toda a Comunidade, construiu uma Igreja em alvenaria rústica que perdurou por mais de meio século e que depois que caiu em ruínas. Surgiu então São Raimundo dos Mulundus, cognome criado por conta do povoado de mesmo nome no interior vargengrandense.

Com o apoio dos proprietários da região, das vizinhanças e das cidades mais próximas, cada ano essa manifestação crescia mais, até que a Paróquia reconheceu o movimento e deu apoio àquela manifestação. Estava criado “O Festejo de são Raimundo de Mulundus”.

Até inicio da década de 1950, o povo em romaria se deslocava com o apoio da Paróquia de Vargem Grande, durante um dia e meio com destino a Mulundus. A pés ou montarias, em estradas carroçáveis de difícil acesso, se alojando em barracas rudes de palhas e chão batido, ficavam famílias inteiras durante o novenário que acontecia de 22 a 31 de agosto. Apos o encerramento a romaria retornava à sede municipal enfrentando as mesmas dificuldades da viajem de ida.

Preocupada com a falta de infra-estruturas da localidade e com o grande crescimento que se projetava nos festejos, a Arquidiocese de São Luís do Maranhão tentou adquirir a propriedade onde se realizava a festa, na intenção de melhorar as infra-estruturas e acolher os romeiros e demais freqüentadores.

Não obtendo êxito nas negociações, a igreja optou transferir os festejos de são Raimundo para Vargem Grande para poder sediar com melhores condições uma manifestação daquela envergadura. Hoje em dia a cada ano de 22 a 31 de outubro a imagem de são Raimundo volta a Mulundus.

Os romeiros de todo o Maranhão e de tantos outros estados do Brasil cada ano, no dia 22 de agosto fazem romaria de Vargem Grande à Paulica, às margens da BR-222 a 8 km da sede municipal e nos dias da Novena até o dia da Festa 31 de agosto, Vargem Grande recebe a multidão de romeiros e turistas que vivem sua Fé e devoção até a participação na grandiosa procissão de “São Raimundo Nonato de Mulundus”, mantendo com isso as tradições e costumes do povo fiel.

Fonte: Paróquia de Vargem Grande




Fábio Braga

São Luís - Maranhão